BEM VINDO À REDE D'OR SÃO LUIZ

Fale Conosco

O que você procura

Sua Saúde


09/05/2017 - Alergias respiratórias estão entre as mais frequentes, seguidas das alimentares


 

São muitos os tipos de alergias existentes. E tantos outros fatores responsáveis por desencadear as “incômodas” crises alérgicas. O Brasil está no grupo dos países com maior prevalência de asma e rinite alérgica no mundo. Estudos apontam que cerca de 80% dos pacientes com asma possuem também rinite alérgica, o que agrava os períodos de crise. Além destas doenças, conjuntivite alérgica e dermatite atópica estão no ranking, seguidas pelas alergias alimentares, principalmente a proteína do leite e do ovo, e a frutos do mar – o que pode, em alguns casos, causar a morte do paciente.

 

- As alergias são doenças multifatoriais e se manifestam como respostas imunológicas exacerbadas a uma substância após sensibilização prévia. Um elemento que cause reação anormal em determinada pessoa, não necessariamente causa alergia em outra. Há alguns casos que estão relacionadas ao fator genético, como rinite e asma. No entanto, as alergias medicamentosas e alimentares não são possíveis de serem previstas, e podem ocorrer com qualquer pessoa em qualquer idade – declara a Dra. Camila Filgueiras, alergologista do Hospital Caxias D’Or.

 

Também alguns objetos, produtos e situações podem gerar alergias, como: contato da pele com acessórios de metal, plástico ou couro; botões metálicos; elásticos; esmalte; picada de insetos; produtos de limpeza; entre vários outros. Alguns sintomas são característicos para estas reações, como coceiras, obstrução nasal, espirros, coriza, lacrimação, edemas, falta de ar, que podem estar associados ou não.

 

Reações alérgicas alimentares e medicamentosas podem cursar com urticária, angioedema (inchaço repentino), mas podem também evoluir para anafilaxia, podendo levar a morte se não for tratado em tempo hábil – é impossível prever qual será a gravidade da reação. As crises de asma grave também podem levar ao óbito.

 

O mais importante é que, uma vez identificada a resposta alérgica deve-se procurar um especialista para a análise do caso e realização de exames que possam detectar as causas da reação e definir o tratamento adequado. De modo geral, evitar exposição ao fator desencadeante é a primeira medida a ser tomada.

 

   10 medidas para evitar as crises alérgicas respiratórias:

 

- Evitar objetos que acumulem poeira, principalmente no quarto de dormir;

- Utilizar pano úmido e álcool para limpeza de cômodos e móveis, evitando varre;

- Evitar cortinas de pano e tapetes, pois acumulam poeira;

- Trocar roupas de cama com frequência e, se possível, secar ao sol;

- Usar capas em colchão e travesseiro, preferencialmente, plásticas;

- Evitar animais doméstico no local de dormir;

- Não comer na cama, para que resíduos alimentares não fiquem no local;

- Deixar a casa arejada e deixar bater sol;

- Limpar filtros de ar condicionado com frequência;

- Evitar áreas com infiltração e mofo.