BEM VINDO À REDE D'OR SÃO LUIZ

Fale Conosco

O que você procura


05/01/2017 - Crianças de férias X Trabalho redobrado para os pais

 

 

Férias escolares é sinônimo de diversão e brincadeira para as crianças e de muito trabalho para os pais que precisam redobrar a atenção com os pequenos que, com mais tempo livre e muita criatividade, têm mais chances de se machucarem. Em um momento de distração acidentes podem acontecer, mas a prevenção ainda é a melhor forma de evitar esses imprevistos. Além disso, saber como proceder nos primeiros socorros é essencial para reduzir, em alguns casos, a gravidade do ocorrido.

 

- É comum que os pais e responsáveis tenham algumas condutas inadequadas no momento dos acidentes domésticos, como: passar creme dental em queimaduras, ou oferecer leite em casos de intoxicação. O alerta é que nestes casos, o procedimento incorreto pode gerar prejuízos a lesão, possibilitando a ocorrência de infecções, por exemplo. O mais indicado é se certificar de que o procedimento adotado é o mais indicado, mesmo que para isso precise acionar um especialista e/ou buscar um atendimento de emergência – explica a pediatra Carla Dall Olio, coordenadora da emergência Pediátrica do Barra D’Or.

 

Segundo a especialista, as quedas e a ingestão ou aspiração de pequenos objetos são as causas mais comuns para entradas em Emergências Pediátricas. Como nem sempre os pais presenciam o acidente, é preciso que eles fiquem atentos aos sintomas. No caso de quedas, o choro é sempre o primeiro sinal, mas nem sempre significa gravidade, assim como escoriações pelo corpo. Em caso de ingestão de objetos os sintomas mais comuns são a tosse sem causa aparente, perda de fôlego, secreção amarelo-esverdeada em apenas uma narina, obstrução nasal em apenas um dos lados e coceira ou dor intensas em um dos ouvidos. 

 

- Ao perceber algum desses sintomas, os pais devem levar a criança imediatamente à emergência pediátrica para que ela seja avaliada e exames sejam realizados, caso haja indicação. É muito perigoso tentar avaliar ou resolver o problema em casa. Vale ressaltar que é fundamental que a criança não durma após uma queda, pois é preciso observar os seus sentidos para que o sono seja identificado como cansaço ou como um sintoma mais grave. Caso a criança apresente sinais de sufocamento após engolir alguma pecinha, como ficar roxa e não conseguir respirar, é preciso acionar a emergência e encaminhá-la, com urgência, ao hospital – alerta a pediatra.



Prevenir é melhor que remediar 

 

Retirar do alcance das crianças remédios e produtos de limpeza, isolar tomadas, extremidades de móveis e acesso a escadas, são algumas das principais medidas que devem ser adotadas nas residências. Além disso, o ideal é manter as crianças longe de utensílios cortantes e inflamáveis, evitando que estejam presentes na cozinha e, quando for preciso, os cabos das panelas precisam estar virados para o interior do fogão, afim de evitar queimaduras.

 

Quando estiverem em área externa é preciso que sempre tenha um responsável supervisionando. No caso de praias, devem estar atentos as placas de sinalização do Corpo de Bombeiros, já em piscinas, o foco deve ser os ralos que podem aspirar cabelos e membros das crianças.

 

Atendimento ágil e especializado 

 

Com ambiente humanizado e profissionais qualificados no atendimento a crianças de 0 a 13 anos, a emergência pediátrica do Barra D'Or oferece assistência especializada e rápida através do modelo Smart Track – de acolhimento imediato do paciente – adaptado ao público infantil. Consultórios médicos, salas para exames laboratoriais e de imagem, posto de enfermagem e leitos para o repouso compõem a emergência.