BEM VINDO À REDE D'OR SÃO LUIZ

Fale Conosco

O que você procura

Notícias


27/06/2017 - Criança pegou infecção em pula-pula

 

 

Brenda Sanderson, uma mãe norte-americana, se assustou quando percebeu que feridinhas começaram a aparecer em grande quantidade no corpo de um de seus filhos. O susto foi ainda maior quando, ao levá-lo na emergência, ela descobriu que o pequeno estava com uma infecção. As informações são do site Fox News, que informou que tudo começou quando o garoto começou a apresentar algumas bolhas na pele que depois se tornaram feridinhas. 

O caso só despertou a atenção da mãe quando elas começaram a doer. Levado ao hospital, o pequeno foi diagnosticado com impetigo, uma doença que pode ser causada por dois tipos de bactéria e requer tratamento específico. De acordo com o médico que atendeu a família e relato da mãe, o garoto desenvolveu a infecção depois de brincar em um pula-pula inflável.

Impetigo: o que é? 
 
De acordo com a pediatra Dra. Carla Dall Olio, coordenadora da Emergência Pediátrica do Hospital Barra D'Or, no Rio de Janeiro, impetigo é uma doença que se desenvolve comumente em crianças entre 2 e 5 anos. Aglomeração típica das escolinhas e creches, o contato com outras crianças nos momentos de lazer somado ao fato de que nessa idade a crianças costumas ter mais lesões de pele provenientes de picadas e outros machucados são os principais fatores para a alta contaminação. 

O contágio, como a médica explica, acontece através de dois tipos diferentes de bactérias que ficam na derme ou nas vias aéreas da própria criança e entram no organismo quando algum machucadinho ocorre. 

“A bactéria pode estar lá, habitando nossa derme, mas quando a criança sofre um trauma e corta a pele, ela entra e causa a infecção”, explica.O contato com essas bactérias, segundo Dra. Carla, pouco tem relação com o ambiente em que a criança está inserida e, por isso, pais não precisam se preocupar com a presença dos pequenos em brinquedos infláveis, estando eles em condições aceitáveis de higiene. “Para pegar a bactéria é preciso ter contato pele a pele com outras crianças ou até mesmo com adultos, na própria casa. É muito difícil achar de onde ela vem”, comenta.

Comum, a infecção, quando tratada, não causa nenhum problema mais grave. “É importante, ao observar que existem machucadinhos virando bolhas e formando casquinhas, buscar ajuda médica para ter um diagnóstico”, orienta a especialista. O tratamento é feito com antibiótico, que pode ser de uso tópico ou oral, a depender do caso.

O único cuidado, reforça a pediatra, é procurar tratamento médico assim que os sintomas forem identificados para que o tipo mais raro da bactéria não evolua para infecções mais sérias. “Só quando o tratamento não acontece é que esse tipo mais raro de germe pode aumentar o risco de uma complicação”, comenta. 

Sintomas da impetigo 

De acordo com a pediatra, os sinais da infecção são bem fáceis de serem identificados. “Geralmente começa com a formação de algumas pápulas [erupções] cutâneas que evoluem para vesículas [bolhas]. Depois, é comum aparecer crostas [casquinhas] com um tom dourado bem característico com uma vermelhidão ao redor”, explica. 

Prevenção

A prevenção depende de cuidados muito básicos e já adotados no dia a dia. “Para reduzir os riscos de contaminação é importante enxugar muito bem a criança depois do banho, para evitar que algumas regiões do corpo fiquem úmidas, estimular a lavagem das mãos com frequência e hidratar a pele”, orienta Dra. Carla. 

Fonte: Portal Vix